sábado, 14 de abril de 2012

Benfica vence novamente a Taça da Liga


O Benfica conquistou este sábado o «tetra» na Taça da Liga, após vencer na final o Gil Vicente por 2-1, com um golo de Saviola ao cair do pano e logo na primeira vez que tocou na bola.

O Benfica conquistou este sábado o «tetra» na Taça da Liga, após vencer na final o Gil Vicente por 2-1, com um golo de Saviola ao cair do pano e logo na primeira vez que tocou na bola.

O Gil Vicente teve o seu momento aos 78 minutos, com José Luís a marcar o golo do empate dos minhotos num pontapé de moinho dentro da área. Crescia a esperança dos gilistas, logo desfeita por Saviola, que tinha acabado de entrar. Witsel aparece na cara de Adriano, que defende o primeiro remate para o lado esquerdo, onde estava «El Conejo» que, quase escondido, rematou para o fundo da baliza dando a conquista da Taça da Liga ao Benfica.

A primeira parte foi bastante repartida, com um Gil atrevido a surpreender um Benfica algo amorfo. Os nortenhos mostravam querer vencer a sua primeira final, com várias jogadas de ataque, mas logo apareceu Rodrigo a refrear o ímpeto gilista, com um golo aos 30 minutos: Bruno César apareceu na esquerda em velocidade a cruzar largo e, ao segundo poste, estava o jovem internacional espanhol que teve apenas de tocar para o primeiro dos encarnados.

No segundo tempo, o Benfica assumiu o jogo e foi atacando a baliza de Adriano, que ainda travou vários remates, de Rodrigo, Maxi Pereira e Gaitán.

Um pouco contra a corrente de jogo, José Luís fez a igualdade, mas Saviola colocou justiça no marcador perto do fim do jogo, sentenciando o domínio das águias que conquistaram todas as edições da prova, excepto a primeira, vencida pelo Vitória de Setúbal.

terça-feira, 20 de março de 2012

Benfica vence Porto por 3 a 2 e está na final da Taça da Liga


O Benfica apurou-se para a final da Taça da Liga após vencer o FC Porto por 3-2. Grande jogo de futebol por parte das duas equipas na primeira parte e, na segunda, o inevitável Oscar Cardozo entrou para resolver o clássico.

Excelente primeira parte na Luz, recheada de golos e oportunidades de golo. O Benfica começou praticamente a ganhar com um golo de Maxi Pereira logo aos 4 minutos. No entanto, o FC Porto reagiu da melhor maneira e Lucho (com a ajuda de Javi) e Mangala (numa grande cabeçada) deram a volta ao resultado. O FC Porto tranquilizou-se no jogo, Hulk e Alex Sandro continuaram a chegar com relativa facilidade à área contrária mas, a partir da meia hora, o Benfica voltou a acordar para o jogo e começou o tiro aos ferros por parte da equipa encarnada.

Aos 34 minutos, Luisão conseguiu a proeza de acertar na barra e no poste na mesma jogada e três minutos mais tarde foi a vez de Aimar acertar no poste na sequência de um livre. A força atacante dos encarnados acabou por ser recompensada com um golo de Nolito, aos 43 minutos, a levar o jogo empatado para o intervalo.

A segunda parte não chegou nem perto à qualidade da primeira. O jogo foi muito mais morno e as equipas mais calculistas. Fez a diferença as substituições do Benfica. Gaitán e Cardozo entraram muito bem em jogo e foi o paraguaio a resolver o clássico, aos 77 minutos, com um golo revelador da enorme confiança do paraguaio que, isolado, preferiu atirar de fora da área para o terceiro do Benfica.

Um golo que vale a presença do Benfica na final da Taça da Liga. Os encarnados esperam agora pelo vencedor do jogo entre Gil Vicente e SC Braga para saberem quem defrontam na final da competição.

Portugueses em destaque na Turquia (H.Almeida, Quaresma 2, M.Fernandes)



quinta-feira, 15 de março de 2012

Sporting consegue o apuramento contra o poderoso City....


O Sporting apurou-se para os quartos-de-final da Liga Europa, apesar de ter perdido em Manchester por 3-2. Depois de uma grande primeira parte, muito sofrimento nos últimos minutos da segunda metade, já que o City ficou a um golo de passar a eliminatória.

O Manchester City dominou a primeira parte mas não criou oportunidades. Estratégia inteligente da equipa de Sá Pinto. Assumir o domínio do City e sair em contra-ataques muito velozes na tentativa de chegar ao golo, que surgiu em dose dupla por Matías (33 minutos) e Van Wolfswinkel (41). Uma vantagem inteiramente justa ao intervalo e que parecia confortável para o resto do jogo.

Na segunda parte, o City marcou o golo que precisava para reentrar na eliminatória. Aguero marcou aos 60 minutos e a partir daí só deu City. Balotelli ampliou a vantagem aos 75 de penalty e o sufoco instalou-se. Aos 82, Aguero bisou e deixou a equipa inglesa a um golo da passagem aos ‘quartos’. Os últimos 10 minutos de jogo foram de grande pressão do lado do City e de grande sofrimento por parte do Sporting. No último lance do jogo, Rui Patrício defendeu um cabeceamento, imagine-se, de Joe Hart, guarda-redes inglês.

Uma derrota com sabor a vitória. O Sporting elimina, justamente, uma das mais fortes equipas europeias da actualidade. A equipa leonina está, assim, nos quartos-de-final da Liga Europa. O próximo adversário será conhecido no sorteio desta sexta-feira.

domingo, 11 de março de 2012

Benfica e Sporting ganham os seus jogos...


Paços de Ferreira 1-2 Benfica

Depois do desaire no clássico, o Benfica alcançou uma difícil vitória no complicado terreno do Paços de Ferreira (2-1). Após este resultado, os «encarnados» igualam o SC Braga no segundo lugar e aproveitam o deslize do FC Porto para ficarem a um ponto do líder.

O Paços de Ferreira inaugurou o marcador aos 28 minutos. Artur ainda defendeu o remate inicial de Manuel José, mas o brasileiro Michel, na recarga, não perdoou. Pouco depois, Melgarejo, sempre muito perigoso, obrigou o guarda-redes do Benfica a espetacular defesa para evitar novo golo.

Na segunda parte, os pacenses entraram melhor do que o Benfica e tiveram duas claras oportunidades para marcar, mas Melgarejo viu a sua bola embater no poste e Michel, com tudo para marcar, rematou por cima.

Depois, surgiu a velha máxima no futebol, quem não marca acaba por sofrer. Aos 64 minutos, Nélson Oliveira, que entrou na segunda parte, desequilibrou na ala direita, escapou da marcação e cruzou para a área onde Gaitán, que também entrou na etapa complementar, desviou com sucesso.

Quatro minutos depois o Benfica deu a volta ao resultado. Após a marcação de livre, o brasileiro Bruno César bateu, de forma superior, o guarda-redes Cássio.

O Paços de Ferreira acabou o jogo reduzido a nove unidades, após as expulsões de Michel e Ricardo.

Sporting 5-0 Vitória de Guimarães 

O Sporting goleou o Vitória de Guimarães por 5-0 em Alvalade. Boa exibição dos leões, principalmente na segunda parte, com destaque para o regresso aos golos de Wolfswinkel e para os dois golos de Jeffrén, jogador que tem sido fustigado por lesões.

Primeira parte em que o Vitória de Guimarães só conseguiu incomodar Rui Patrício por uma vez (remate de João Alves). O Sporting dominou na grande maioria do tempo e marcou aos 21 minutos, num regresso aos golos de Wolfswinkel, que já não marcava para o campeonato desde Novembro. Ainda antes do intervalo, Diego Capel podia ter feito o segundo mas Nilson fez uma espetacular defesa e negou o golo ao espanhol.

Melhor início de segunda parte não podia ter havido para o Sporting, com o segundo golo a surgir logo aos 50 minutos por Matías Fernandez. Vinte minutos depois, Izmailov marcou o terceiro, de grande penalidade, e a partir daí o Sporting soltou-se completamente, ganhou muita confiança e pareceu desfrutar do jogo como já algum tempo não se via. Com 3-0 no marcador, a chave para chegar à goleada foi a entrada de Jeffrén que, depois de ter sido fustigado por várias lesões ao longo da época, regressou com vontade de brilhar e marcou dois golos, o primeiro deles de muito belo efeito.

O Vitória de Guimarães deixou uma pálida imagem daquilo que vale em Alvalade. Só Urreta esteve a um bom nível e tentou levar a equipa para a frente, o que é muito pouco para o atual sexto classificado do campeonato. Quanto ao Sporting, voltou a igualar o Marítimo na classificação mas, acima de tudo, ganhou uma enorme confiança para o jogo da Liga Europa, em Inglaterra, frente ao Manchester City.

terça-feira, 6 de março de 2012

Benfica elimina Zenit na Liga dos Campeões


O Benfica teve o regresso mais saboroso possível aos triunfos, batendo o Zenit por 2-0 e carimbando a passagem aos quartos de final da Liga dos Campeões. Maxi e Nélson Oliveira, ambos no tempo de descontos de cada parte, foram os autores dos golos.

Após quatro jogos sem vencer, os encarnados sofreram a bem sofrer, mas justificaram plenamente a vitória, diante de adversário que foi incapaz de se mostrar atrevido no Estádio da Luz. Ainda assim, a parte final foi de grande sofrimento para a equipa comandada por Jorge Jesus...

Entrando com três novidades no onze em relação ao jogo da passada sexta-feira frente ao FC Porto (Jardel, Bruno César e Rodrigo ocuparam as vagas de Garay, Nolito e Aimar), o Benfica demonstrou algum nervosismo, bem demonstrativo naquela que deve ter sido a melhor oportunidade de golo do Zenit (um autêntico brinde de Artur aos 43 minutos). Pouco depois Maxi Pereira, superiormente assistido por Witsel, fez explodir a Luz de alegria.

Bom tónico para a segunda parte, na qual os encarnados, porém, cedo deram a iniciativa do jogo ao adversário, tentando depois explorar o contra-ataque. Foi hora de sofrer, até que o recém-entrado Nélson Oliveira, também já em tempo de descontos, confirmou a vitória.

Seis anos depois, o Benfica volta a colocar-se entre os 16 melhores da Europa, arrecadando de enfiada mais de quatro milhões de euros. Sinal de novo (grande) alento para os lados da Luz, após quatro jogos seguidos sem vencer, tendo perdido a liderança do Campeonato para o grande rival FC Porto.